11 de janeiro de 2016

Você é satisfeita?


Todo ser humano tem a profunda necessidade de se sentir satisfeito, e vários são os meios procurados a fim de encontrar essa satisfação. É um vazio, uma carência, uma necessidade íntima de ter algo para ser de fato feliz.

       Muitos acreditam que se forem ricos terão a felicidade que precisam. Outros, se conseguirem o sonho almejado, que pode ser um curso, emprego, casamento, dentre várias outras coisas que se mostram realmente importantes. Algumas têm a percepção de que não são felizes ainda porque não encontraram o príncipe dos seus sonhos. Precisam grandemente de alguém para completar o seu ser, pra lhe dar significado para a sua vida e enfim, lhe trazer a satisfação tão esperada.

Sobre essa perspectiva amorosa, o pastor Josemar Bessa argumenta em uma de suas pregações¹, que atualmente as pessoas precisam de uma palavra de fora que as torne “grande”, precisam ouvir que são amadas, precisam ser valorizadas por alguém que tem consideração em suas vidas. Daí o amor atual não é algo que eu dou o que for que seja, para o bem da pessoa amada, mas é antes, um meio de onde tiro realização, para que eu possa me definir. Apaixonar é uma fome de ser amado, de acabar com a minha solidão, e enquanto estou bem com essa pessoa, tudo está ótimo. O escritor Ernest Becker, tratando deste drama humano em projetar sobre outro individuo a responsabilidade de nos fazer feliz, asseverou:

“Como pode um ser humano ser ‘tudo’ para outro? Nenhuma relação humana pode suportar o fardo da divindade, e a tentativa leva a se pagar um preço alto inevitavelmente e de alguma forma para ambas as partes... Se o seu parceiro é o seu “tudo”, em seguida, qualquer falha dele se torna uma grande ameaça para você... Afinal, o que é que nós queremos quando elevamos o parceiro amoroso para uma condição de Deus? Queremos redenção – nada menos. Queremos nos livrar de nossos defeitos, de nosso sentimento de nada, queremos uma identidade... Queremos ser justificados, queremos ver que nossa vida não tem sido em vão... não era pra ser necessário, mas agora é necessário dizer que nosso parceiro não pode ser nem fazer isso”²

Vale salientar que as coisas citadas acima como meio de ser felizes, não são reprováveis, nem devem deixar de ser buscadas. O que está sendo abordado é que qualquer busca que chega ao nível de ser base para a nossa satisfação, que não seja Deus, é desperdício de tempo. Somente Aquele que te criou pode dar-te plena satisfação. Tudo o que procuras além Dele, com esse mesmo fim, implicará em tua ruína!

Você quer alguém forte, confiável, maduro, amoroso, companheiro, bondoso, e enfim, perfeito? Corra para Cristo, Ele tem todas as virtudes que procuras em excelência! E Ele já se oferece nas Escrituras como a fonte de nossa satisfação:

“Eu sou o pão da vida. Aquele que vem a mim nunca terá fome; aquele que crê em mim nunca terá sede.” (Jo. 6:35)

“Quem beber da água que eu lhe der nunca mais terá sede.” (Jo. 4:14)

John Piper já diz:

“Deus é o único no Universo cujo maior presente que pode dar é a Ele mesmo.”

E se Deus oferecesse algo menor que Ele mesmo, Ele não seria amoroso! Porque nada menor que Deus pode nos fazer satisfeitos, de sorte que Ele nos dá daquilo que realmente necessitamos. Já dizia Agostinho:

“Criaste-nos para Ti, e inquieto está o nosso coração enquanto não repousar em Ti.”³

Uma das táticas do inimigo é nos fazer acreditar que podemos ser satisfeitas com qualquer outra coisa além de Deus, e ele lança todo um aparato para que tenhamos como alvo em nossos corações. Não seja iludida, minha amada. Não busque nas coisas aquilo que você só pode encontrar Nele! O teu Deus será a tua alegria, a tua delícia e satisfação, quando O buscares com toda a tua vida.

“...Na tua presença há plenitude de alegria, na tua destra, delícias perpetuamente.” (Salmos 16:11)

A Sua presença nos propicia fartura para as nossas almas:

“Eles se fartam da gordura da tua casa; tu lhes dás de beber da corrente das tuas delícias.” (Sl 36:8).

Refletindo um pouco mais... Se Deus não é a nossa satisfação aqui na terra, o que procuramos quando desejamos o céu? O céu só o é porque Deus está lá! Ele é o nosso maior tesouro, e não vale a pena viver toda uma vida para entender que desperdiçamos o essencial! Tudo vai passar, a nossa vida é breve. O rei Salomão, mesmo com toda a sua sabedoria e riqueza, só entendeu depois de velho que a suma de tudo é “temer a Deus e guardar os seus mandamentos.” (Ec 12:13).

Não percamos mais tempo. Se Deus é a tua vida, busque-O dessa forma. Se Ele é mais importante que o ar que respiras, se imagine num lugar totalmente sem ar, sufocado, em como você buscaria com toda a sua força o oxigênio para respirar. Busque-O assim, porque posso te garantir, Ele é mais importante que qualquer pessoa ou coisa desta vida. Por tudo o que Ele é e porque Ele é a nossa satisfação. Porque ainda não estamos satisfeitas Nele?

Thayse Fernandes

¹Pregação nomeada como “Romance e sexo”, disponível em: www.youtube.com/watch?v=POZDHeuHVrc.
²Ernest Becker, A negação da morte (New York, 1973) – pg 166,167. Fonte: www.josemarbessa.com/2015/05/romance-ou-redencao.html.
³ AGOSTINHO, Confissões, Livro I, Cap. I.

4 comentários:

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...