29 de fevereiro de 2016

Submissas à vontade de Deus



A filosofia de vida do mundo consiste na busca e gratificação de prazeres efêmeros, muitas vezes destrutivos e que vão de encontro à lei divina. Tudo é permitido, nada é proibido. Tornando o que é imoral em “lícito” aos olhos daqueles em que a libertinagem é o seu verdadeiro deus. Nesse mundo caído, aqueles que querem ter vidas puras e santas são ridicularizados, e com nós mulheres não têm sido diferente. Viver para Deus implica em fazer Sua vontade conforme está revelada nas Escrituras e que é diametralmente contrário a cultura que nos rodeia. 

A Bíblia diz que fomos desarraigadas deste mundo e pela graça do Deus absolutamente incorruptível e imutável, somos agora a luz e o referencial para uma sociedade desolada. Portanto, como mulheres cristãs, devemos está conscientes de que a submissão a vontade de Deus, será sempre o melhor para nós. E encontramos essa vontade em Sua Palavra que é nossa única regra de fé e norma de vida (Salmo 119.140).

A mulher cristã deve ser totalmente submissa à vontade de Deus, sendo inconformada com o atual sistema imoral, esdrúxulo e idólatra do mundo e como servas autênticas do Senhor exalar o doce perfume da santidade de Jesus Cristo nesse mundo, que como um corpo em decomposição cheira mau. A mulher virtuosa deve ser aquela que se esmera em exercer a boa, agradável e perfeita vontade de Deus, sabendo que a beleza externa passará, mas a beleza essencial de um coração submisso a Deus permanece. Revestidas sempre pela força e a dignidade provenientes do Senhor, se esforçando com sabedoria e benevolência para viver sem medo a submissão ao chamado de Deus.

É possível vislumbrarmos nas Sagradas Escrituras, um belíssimo exemplo de companheirismo, amor e submissão à vontade de Deus. Encontra-se no livro de Rute. A moabita que deixou seu povo e sua terra para se tornar um só povo e servir o mesmo Deus de sua sogra (Rute 1.16-17). A piedosa gentílica declara sua fé ao Deus de Israel e consequentemente se sujeita com amor para servir ao Senhor e agora o seu Deus. O livro de Rute mostra que o Senhor usou o amor para ativar a fé do seu povo. Mesmo vivendo numa época de rivalidade interracial, violência e idolatria, ambas não deixaram de buscar o Senhor. Portanto, foram duas mulheres de países diferentes que se uniram e amaram o mesmo Deus e fizeram Sua vontade. Rute se tornou uma figura importante na história da redenção, ao ponto de encontramos na genealogia de nosso Senhor Jesus Cristo, em Mateus (1:5) a menção do seu nome.

Na carta aos Romanos 12:2 o apóstolo Paulo assevera que:

 “Não vos conformeis com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.” 

Portanto, como servas piedosas e submissas à Palavra de Deus, devemos desejar avidamente em se deleitar no Senhor para que possamos ver realizada em nossas vidas a boa, agradável e perfeita vontade do Senhor Jesus Cristo.

Mysia Rebeca

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...