9 de maio de 2016

Você está cercada de mentiras



Quando a serpente contou a primeira mentira da história à Eva, e daí seguiu-se a queda dos nossos primeiros pais (e com eles todos nós), começou a ser construído um mundo de ilusões orquestrado pelo “príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência” (Ef. 2.2), uma engrenagem que tem como combustível toda inconformidade com a Lei de Deus, ou seja, o pecado, o qual, depois da Queda, passou a constituir a natureza de todos os degradados filhos de Adão. De lá para cá, a humanidade arruinada tem comprado as mentiras vendidas pela antiga Serpente - o diabo, com a promessa de que terá o que perdeu no Éden: a felicidade. Para nós mulheres, esse pacote de mentiras vem sendo direcionado a diversos aspectos, mas observaremos apenas dois, os quais parecem ser os mais comuns e abrangentes:

Aparência física: Embora o conceito de beleza seja cultural e temporal, o desejo de ser bela é algo que pode ser visto universalmente nas mulheres de todas as épocas, que sempre tiveram especial preocupação com a aparência e se submeteram a muitos sacrifícios, para alcançarem o ideal de beleza, no contexto em que viveram. No período da renascença, as mulheres ricas arrancavam os cabelos da parte frontal da cabeça para ficar com testas maiores e bem arredondadas, o que era considerado primoroso para a sociedade europeia daqueles dias. Nos anos que antecederam a Segunda Guerra Mundial, na China, as meninas da alta classe social tinham seus pés enfaixados para que eles ficassem entre sete e dez centímetros de comprimento, pois esse era o tamanho de pés valorizados e considerados encantadoramente femininos, mas aleijavam seus pés para sempre. Na Inglaterra durante o século XVII era comum às mulheres obesas recorrerem à sangria, na época vitoriana o sonho de beleza era uma cintura de quarenta e seis centímetros e para isso as mulheres usavam espartilhos tão apertados a ponto de deslocarem órgãos internos. Já nos loucos anos vinte, as jovens ocidentais enfaixavam os seios, pois a moda era um busto achatado; e nos anos trinta, engoliam um verme de nome cientifico tênia, mais conhecido popularmente como solitária, para terem uma pele de porcelana1. Tudo isso nos parece tão grotesco até nos lembrarmos de que em nossos dias, de alta tecnologia, mulheres injetam uma espécie de gel aquoso (conhecido como hidrogel) nas pernas para ficarem torneadas ou implantam próteses de silicones nos seios ou bumbum para aumentar o tamanho, ou ainda se submetem a um procedimento conhecido como lipoaspiração, no qual, através de tubos cirúrgicos, é aspirada a “gordura localizada” em determinadas partes do corpo. Mas é claro que essas coisas não nos espantam, porque já inculcaram na nossa cabeça que são necessárias para se alcançar o corpo que nossa sociedade cultua. Todo o tempo, dinheiro e esforço em demasia, que dedicamos para ter a aparência que a cultura estabeleceu como desejável, mostra que realmente acreditamos em uma grande mentira, a de que a beleza física nos fará mulheres felizes e realizadas se a tivermos, mas essa mesma cultura não nos ensina que a beleza dos atributos físicos tem prazo de validade, e isso porque essa verdade nos levará a perceber que não vale a pena investir a vida em algo que não possui importância real. Não é pecado querer ser bonita, o pecado pode encontrar-se na motivação para tal, por exemplo, se você busca a beleza física como meio para o apelo sexual, causar inveja nas outras mulheres ou ser o centro das atenções, isso é errado aos olhos de Deus. Mas se você busca aquela beleza discreta e comedida que reflete piedade e pureza em sua aparência, então isso é agradável a Ele. A única beleza que pode realmente nos trazer alegria e contentamento é a beleza de uma vida santa: que bem faremos se a buscarmos com toda dedicação e zelo! É claro que isso não exclui os cuidados com nosso corpo, e nós devemos sim ter uma alimentação saudável, fazer exercícios físicos, usar roupas bonitas, tratar dos cabelos, etc., mas não se deixe enganar, porque não é por estar dentro dos padrões de beleza da nossa cultura que você vai ser uma mulher verdadeiramente feliz. 
  
Relacionamento amoroso: A idealização proposta pela nossa cultura ao amor romântico tem descaracterizado o objetivo do relacionamento conjugal, nos ensinando que a relação matrimonial com um homem deve ser um “mar de rosas”, onde só teremos alegria e prazer; que o homem perfeito para nos relacionar é aquele que faz todas as nossas vontades, cedendo aos nossos caprichos e nos tratando como deusas. A ideia predominante é a de que o objetivo do casamento é nos fazer feliz, e então casamos com a expectativa de que o nosso cônjuge nos dê a felicidade. Colocamos essa tremenda responsabilidade em cima de um pecador, cheio de defeitos e sem nenhuma capacidade para cumprir tal tarefa. Essa é mais uma grande mentira que nos cerca e que acreditamos piamente, tanto que há mulheres que se sentem extremamente infelizes porque ainda não casaram, vivem amarguradas e desperdiçam os dias de solteira reclamando e cultivando sentimentos de inveja e frustração em seus corações. Isso acontece por elas realmente acreditarem que só o casamento irá fazê-las felizes. Mas a verdade é que depois da Queda, na vida “debaixo do sol”, Deus tem chamado pecadores regenerados para viverem a aliança do casamento caminhando juntos rumo à perfeição, crescendo na semelhança de Cristo, em meio aos defeitos e falhas do companheiro, exercitando o perdão, a paciência, a bondade e é claro, o amor. Então, se você realmente deseja se unir a um homem pelo pacto do matrimônio, faça isso pelos motivos certos, pois se você não é feliz agora enquanto é solteira, você também não será quando casar, porque a nossa felicidade é Deus, porém, nosso coração enganoso, o diabo e o mundo se empenham para nos fazer acreditar que seremos felizes em termos qualquer coisa, menos Deus. Tenha cuidado, esteja sempre vigilante para que em seus relacionamentos Deus seja tudo em todos, o que passar disso é idolatra.

Embora essas não sejam as únicas mentiras que nos rodeiam, parecem ser as que têm tido um efeito de maior proporção, mobilizando as mulheres a buscarem com afinco essas coisas, que só terão valor se forem feitas debaixo do sorriso de Deus, que se agrada na beleza e no casamento, quando são feitos para Sua glória. Lembre-se de que tudo nesta vida não é sobre você, mas sobre Deus, até sua beleza e seu casamento.

Sonaly Soares

1 Informações citadas no livro Mulher Cristã: repensando o papel da mulher à luz da Bíblia de Nancy Leigh DeMoss. Pgs 38,39
*Texto originalmente publicado no Blog Cristãos Contra o Mundo

8 comentários:

  1. Cada vez que leio um post desse blog fico extremamente feliz! Glória a Deus porque existem mulheres virtuosas, humildes e puras para espalharem a mensagem do evangelho, e principalmente para honrar a Deus na ajuda ao próximo. O conteúdo desse blog é estritamente bíblico e contém a pureza e essência do cristianismo. Que Deus continue abençoando o blog, e que ele continue ensinando e ajudando as mulheres a serem servas piedosas do Deus altíssimo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Débora!

      Graças a Deus por sua edificação, isso muito nos alegra! Que o Senhor te abençoe.

      Um abraço!

      Excluir
  2. Bom dia!

    Texto maravilhoso e muito edificante. Que possamos ser luz em meio à essa sociedade egocêntrica e narcisista. Que Deus possa nos dar graça para nEle sermos aquilo que Ele planejou para nós.
    Deus abençoe cada dia as pessoas deste blog.

    Graça e Paz.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Juliana!

      Agradecemos sua prece em nosso favor. Que o Senhor também te abençoe grandemente.

      Um abraço!

      Excluir

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...