4 de julho de 2016

Indicações de livros – Sonaly Soares


Embora não se comparem à companhia daqueles que amamos, os livros são bons companheiros que nos trazem inúmeros benefícios: expandem o conhecimento, a capacidade de argumentação, refinam o humor, e alguns deles nos envolvem de tal modo, que nos sentimos como se estivéssemos experimentando o que estamos lendo, como escreveu Lewis: “Lendo a grande literatura, torno-me mil homens e ainda permaneço eu mesmo." Mas todo o conhecimento que adquirimos, deve ser levado em submissão ao Senhor Jesus Cristo, e jamais deve ser usado como forma para nos promover ou em orgulho, mostrar aos outros que sabemos mais. Como consta num antigo documento pertencente à fundação da Universidade de Harvard: “Que o estudante seja sempre plenamente instruído e seriamente pressionado a considerar bem que o principal fim de sua vida e de seus estudos é conhecer a Deus e Jesus Cristo, que é a vida eterna (João 17:3) e por isso colocar Cristo na base, como o único alicerce de todo conhecimento e aprendizado saudável”. Os títulos que estou indicando foram realmente importantes na construção do meu entendimento do ensino bíblico em diversas áreas. Oro pelo vosso crescimento e piedade.

1. Confissões – Santo Agostinho, Ed. Vozes.
As confissões são de Agostinho, mas às vezes, parece ser o grito do coração de quem lê. Várias vezes me sentia como se estivesse lendo as descrições dos lamentos, anseios e desejos mais profundos do meu próprio coração. 

2. A Mortificação do Pecado – John Owen, Ed. Vida.
Esse livro me trouxe o entendimento da natureza do pecado, suas artimanhas e sutilezas, e isso é importante porque quanto mais entendemos como o pecado funciona, mais eficazes seremos em nossa luta contra ele - e a mortificação é a nossa grande luta nesse mundo. Thayse já indicou esse livro, mas eu não poderia deixar de reiterar, pois até onde sei, na história do Cristianismo, ninguém conseguiu explicar o ensino bíblico do pecado, da tentação e da mortificação como Owen.

3. Santos no Mundo – Leland Ryken, Ed. Fiel.
A vida teocêntrica dos puritanos tem sido redescoberta nas últimas décadas. Essa obra do Dr. Ryken expõe os puritanos como eles realmente eram, mostrando não apenas suas qualidades, mas também seus pontos negativos. Temos muito que aprender com eles, e aqui está uma excelente introdução à vida e teologia desses, como diz Packer: “gigantes de Deus”.

4. A Lei da Bondade – Mary Beeke, Ed. Fiel.
Aqui vemos de modo simples o que a Bíblia ensina sobre o que é bondade: A expressão do amor que temos por Deus e pelo próximo. O Senhor Jesus é a Suprema manifestação da bondade de Deus aos homens e o livro é um incentivo ao cultivo dessa poderosa virtude. Percebi o quanto preciso amar meu próximo, além das palavras, pois recebi bondade do Oceano infinito que é o Senhor Jesus e, portanto, preciso ser como um rio desaguando bondade e misericórdia aos outros.

5. Através dos Portais do Esplendor – Elisabeth Elliot, Ed. Vida Nova.
Como eu amo Elisabeth! E esse livro só me fez amá-la ainda mais. Cinco jovens missionários foram martirizados ao tentar fazer o Nome do Senhor conhecido entre os Aucas, e um deles era o marido de Elisabeth. O amor e o zelo que esses missionários tinham pelo Evangelho, o anseio em levar a luz da Palavra de Deus às trevas das tribos que viviam nas florestas equatorianas, o modo como as viúvas lideram com a perda de seus maridos, o fato dos Aucas terem sido evangelizados,  inclusive, pela própria Elisabeth, que evangelizou dois dos homens que mataram seu marido (e mais tarde esses homens se tornam cristãos e passaram a pregar o Evangelho a sua tribo), tudo isso me deixou maravilhada com a complexidade e sabedoria dos desígnios de Deus – Quem foi seu conselheiro? Quem conheceu a mente do Senhor? – Como dizia Elisabeth: “Deus sabe o que está fazendo”. Só nos resta nos prostrarmos em adoração. Eu não tenho palavras suficientes para indicar esse livro.

6. A Morte da Razão – Francis Schaeffer, Ed. Ultimato.
O Dr. Schaeffer discorre sobre o percurso que nossa civilização fez até chegar ao racionalismo, a partir de Tomás de Aquino, passando pelo Renascimento até a Reforma no século XVI. Ele mostra que no pensamento renascentista o centro era a razão, e, portanto, ela definiria a realidade; já para os reformadores, era Palavra de Deus. Mas como foi o viés renascentista que moldou a mentalidade do século passado, o contexto que Schaeffer viveu foi marcado pelo racionalismo, que tornou a vida praticamente sem sentido. Ele tenta nos mostrar a necessidade de entendermos o sistema de pensamento que se apresentava em nossa sociedade para assim podermos comunicar o Evangelho. Embora não vivamos mais no século XX, precisamos “decodificar” a linguagem e a mentalidade do nosso tempo para que o Evangelho seja comunicado claramente.

7. Com Vergonha do Evangelho – John MacArthur Jr., Ed. Fiel.
Faz uns cinco anos que li esse livro, e ele me trouxe bastante discernimento quanto a raiz dos problemas que a igreja contemporânea tem passado, pois o pragmatismo e o mundanismo são apenas consequências naturais do abandono à primazia da Palavra de Deus. A pregação fiel das Escrituras tem sido substituída por uma série de elementos com o objetivo de entreter e agradar, essa é a forma do Cristianismo atual atrair as pessoas. Seu resultado? As igrejas estão abarrotadas de pessoas não regeneradas, que não amam a Deus, nem a Sua Palavra e daí vêm grande parte dos problemas que temos em nossas igrejas.

8. Um Chamado à Reforma Espiritual – D. A. Carson, Ed. Cultura Cristã.
Nessa obra o Dr. Carson, uma das mentes mais brilhantes dos nossos dias, analisa minuciosamente algumas orações do apóstolo Paulo, tencionando nos mostrar que a reforma espiritual que tanto almejamos não será através de programas de crescimento de igreja ou de técnicas para persuadir as pessoas, mas pelo conhecimento verdadeiro e íntimo de Deus. Precisamos conhecer nosso Deus, não de ouvir falar, mas pela nossa própria experiência através do estudo de Sua Palavra e da vida disciplinada de oração.

9. Cristianismo Puro e Simples – C. S. Lewis, Ed. Martins Fontes.
Aprendemos com Lewis que a fé cristã se aplica eficazmente a todas as esferas da vida, por mais complexas que sejam. O livro aborda temas como: moralidade, Lei Divina, castidade, salvação, perdão, pecado, sexo, etc. De modo simples e claro, o autor expõe esses temas na perspectiva cristã.

10. O Feminismo Evangélico – Wayne Grudem, Ed. Cultura Cristã.
Nesse livro Grudem se levanta, corajosamente, contra um dos maiores gigantes do nosso tempo: O Feminismo, em especial o chamado “Feminismo Evangélico” (Igualitarismo). O autor expõe a perversão dessa ideologia ao tentar enfraquecer ou negar a autoridade das Escrituras, mas também refuta suas alegações falsas e ainda mostra para onde o feminismo está nos levando. Leitura obrigatória para nós que somos bombardeadas constantemente por gritos histéricos e ofensas desmedidas tentando nos pressionar a aceitar reivindicações contrárias a Deus e Sua santa Palavra.


Sonaly Soares

4 comentários:

  1. Nunca vi uma lista com livros tão bons! Vontade de ler todos já. Parabéns Sonaly. Deus abençoe

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Rafa!

      Que bom que você gostou. Lhe incentivo a ler todos, pois fui muito edificada com os ensinamentos contido nessas obras e ainda recebi bastante discernimento.

      Deus te abençoe. Um grande abraço!

      Excluir
  2. Gostei muito da lista :) Estou lendo um muito bom,chama-se "A dama, seu amado e seu Senhor", do T.D. Jakes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que você gostou!

      Já li algumas páginas desse que citasses.

      Deus te abençoe. Um abraço!

      Excluir

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...