10 de julho de 2017

Série: Encorajamento para mulheres solteiras - Contra as tentações (1ª parte)


Na sociedade permissiva em que estamos inseridas, muitas mulheres crescem acreditando que a contínua inquietação interna que vivenciam se deve a uma necessidade de encontrar a realização, seja no âmbito matrimonial, seja na vida profissional e assim, são constantemente bombardeadas a fugir do padrão instituído por Deus para o qual foram chamadas, uma vez que para seguir os conceitos dessa sociedade, o que importa é a autogratificaçao, a autossatisfação. No entanto, não há cargo almejado, como também não existe o “príncipe encantado” que possa suprir o lugar no coração que somente o Senhor tem toda plenitude para reinar, pois nEle somos aperfeiçoadas e Ele é o cabeça de todo principado e potestade." (Colossenses 2:9,10).

Conforme o contexto histórico do Novo Testamento, quando uma moça se aproximava da idade de se casar, sua família comprava um vaso de alabastro e depositava nele óleos ou essências preciosas que eram abertos apenas em ocasiões muito especiais. Era parte do dote da moça, uma vez que quando um jovem vinha pedir-lhe a mão em casamento, a moça tomava o vaso e quebrava-o a seus pés demonstrando sua pureza. Concomitantemente, quando Jesus estava em Betânia, na casa de Simão, uma mulher aproximou-se dele e quebrando seu vaso de alabastro, derramou a essência preciosa sobre sua cabeça (Mateus 26:6-7). O texto do livro de Lucas relata o mesmo episódio, descrevendo-a como uma mulher pecadora da cidade (7:37). O propósito dessa mulher ao demonstrar tal ato nos permite concluir que seu gesto além de sacrifical era puro, pois seu coração sabia que o único que poderia ocupa-lo era aquele que o criou, Jesus Cristo.

Nesse diapasão, aplicando aos nossos dias, o que uma moça poderá preencher em essência ao seu vaso durante o seu tempo de solteira? Será possível viver de modo que seu vaso seja preenchido por piedade e honra?  E se for possível viver piedosamente, como então ela poderá vencer as tentações de uma sociedade egocêntrica e superficial, que oferece as pessoas solteiras inúmeras opções de distração? Nesse segundo texto da Série: “Encorajamento para mulheres solteiras”, será abordado o encorajamento contra as tentações. Como então surgem as tentações? Como somos tentados? Quando somos tentados? E qual o propósito em Deus permitir as tentações? Na referida serie estudaremos como explorar o solteirismo para a plena devoção a Cristo, enfrentando as tentações dessa fase sem ficar paralisadas pelo desejo de contrair um matrimônio, bem como galgar determinada posição profissional, pois o único que pode ser a primazia de nossos corações é aquele que soprou o fôlego de vida em nós, Jesus Cristo.

Como surgem as tentações?

A Sã Doutrina assevera que todos pecaram e assim ficamos afastados da glória de Deus (Romanos 3:23). No entanto, Cristo é o cordeiro de Deus que tem poder de purificar nossos pecados (João 1.29). Assim, quando confessamos Cristo como Senhor de nossas vidas, temos acesso ao Pai, pois “quem está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo”. (2 Coríntios 5.16,17). Dessa maneira, aceitamos a Jesus como Senhor e ofertamos o nosso coração para Ele reinar, sendo o nosso dever nos submetermos a sua soberania. No evangelho de Marcos, Jesus atribuiu como principal mandamento “Amar o Senhor, teu Deus de todo coração” (12.30). Sendo assim, devemos guardar nossos corações, pois há plena segurança quando meditamos na Palavra Imutável de Deus (Provérbios 1.33). Em todas as áreas de nossas vidas somos tentadas, isto porque o pecado é fruto de nossa natureza morta, e por isso somos corruptíveis e suscetíveis pelo o inimigo de nossas almas, satanás, a desviar o nosso coração do propósito para o qual o Senhor nos criou. Dessa maneira, as tentações surgem quando cada uma de nós é atraída e seduzida pelo desejo pecaminoso (Tiago 1.14). O Senhor nos adverte que devemos guardar nossos corações, pois dele depende toda a nossa vida (Provérbios 4.23), bem como o regozijo em suportar as provações com perseverança (Tiago 1.12).

Por estarmos inseridas no reinado do relativismo e secularização dos princípios de Deus para uma vida piedosa, o mundo pós-moderno oferece a mulheres solteiras inúmeras opções de distração, principalmente para defraudar seu corpo, deturpar sua mente, abalar suas convicções e seu equilíbrio emocional. As tentações emergem na fase de nossas vidas em que estamos prontas para preencher com essências preciosas o nosso vaso e assim, devemos aproveitar esse tempo de solteira para aprimorar nossos dons e talentos para o serviço de Deus, procurando compreender qual a vontade do Senhor (Efésios 5:15-17), para quando chegar o momento de quebrar o vaso, ele esteja cheio de preciosos feitos contribuídos no enriquecimento da glória de Deus.

As tentações ocorrem nas áreas mais frágeis de nossas vidas

A Palavra de Deus também assevera que todos são tentados (Marcos 1.12,13; Jó 1.8), que sempre seremos tentadas, principalmente quando recebemos grandes bênçãos. O Cordeiro de Deus foi tentado quando foi enviado ao deserto (Marcos 1.11-13, Mateus 4.1). Somos tentadas em todas as áreas de nossas vidas, mas torna-se mais difícil naquelas em que somos mais frágeis (Lucas 4.3-9; 1João 2.16). Enfrentar o solteirismo em uma sociedade que deturpa e perverte as Sagradas Escrituras é uma caminhada enfadonha e muitas vezes solitária. Diversos são os apelos para a mulher solteira dar vazão à libertinagem, que vai de práticas libidinosas com vários parceiros, ao desespero por um relacionamento com qualquer tipo de rapaz, culminando assim na defraudação de seu corpo, na perversão de sua mente e na destruição de seus sentimentos.

A mulher solteira também é tentada por uma realização profissional que sucumbe toda sua essência ao ponto de que sua realização é a única primazia de sua vida, esquecendo os propósitos de Deus e o seu amor e devoção em sua Palavra (Todavia, não corresponde que a mulher não poderá galgar determinado cargo, ela tendo oportunidade deverá exercer sua função sempre com lisura e pureza). Enfim, quando estamos concentradas em nós mesmas, fracassamos miseravelmente e se não for o Senhor para livrar-nos, cairemos nas tentações depravadas e distorcidas de nossa sociedade permissiva. Portanto, devemos fugir das tentações, resistindo as sutilezas de satanás (2 Timóteo 2.22, Filipenses 4.8), pois a preocupação consigo mesma lhe roubará a alegria de servir. Assevera a autora missionária Durvalina Bezerra:

“Não há realização plena fora dos planos divinos. Há bons profissionais, mas só a profissão não realiza ninguém. Há pessoas bem casadas, mas a realização não se reduz ao casamento. O que traz plena realização para o cristão é poder produzir para o reino eterno, contribuir para a edificação e expansão da Igreja de Cristo, ser útil para a sociedade, colaborar para o bem comum, gastar as energias, usar os dons e os talentos a serviço da sublime Causa do Mestre.” 

Qual o propósito de Deus em permitir as tentações?

Simultaneamente, antes de tudo é necessário ter consciência do propósito de vida que o Senhor determinou para que vivamos, uma vez que o Senhor nos chamou para sermos santos e irrepreensíveis (Efésios 1.4,5). Deus permite as tentações para provar nossa fé e para que venhamos mortificar o pecado. Assim, é necessário mortificar qualquer forma perturbadora de lascívia em nossas vidas, de modo completo e aceitável. Devemos ser igualmente diligente na obediência a todos os deveres ao qual Deus nos chama, orando e vigiando como o Senhor Jesus nos ordenou (Marcos 13.37).  Uma vez que somos geração eleita, sacerdócio santo (1Pedro 2.9), devemos deixar todo tipo de maldade e depravação para desejar o mais puro alimento espiritual (1Pedro 2.1). Devemos nos aproximar do Senhor com o coração sincero, pois Ele nos sustenta e nos capacita para enfrentarmos qualquer tipo de tentação, e assim, quando confessamos que Deus é soberano e que a sua vontade é boa, perfeita e agradável (Romanos 12.1-2), nos submetemos à soberania divina para desfrutar do melhor lugar para estar, que é no centro da vontade de Deus. Sendo assim, que toda mulher solteira tenha como primazia buscar usufruir desse tempo para se dedicar em conhecer qual o propósito do Senhor em sua vida, e que toda esfera dela seja gasta em devoção à glória de Deus.

Mysia Rebeca
_______________
VIEIRA, Paumarisa; MARQUES, Josipléssis; PINTO, Rosali Melo; BEZERRA, Durvalina. Sexualidade da Mulher Cristã. Visão Cristã: Campina Grande, 2014. p.110.

Um comentário:

  1. Ótimo Texto ! Tenho sido bastante edificada através do conteúdo dessa página. Deus abençoe vocês!!

    ResponderExcluir

Poderá gostar também

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...